sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Golfinho encalha e morre em praia de Grossos

Um golfinho da espécie conhecida como golfinho pintado (Stenella attenutta) encalhou vivo por volta das 7h30 de hoje (21) na Praia de Pernambuquinho, Grossos-RN.


O animal foi encontrado na praia pela Equipe de Pesquisadores do Projeto Cetáceos da Costa Branca da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (PCCB-UERN), que executa o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia Potiguar (PMP-BP) como uma Condicionante Ambiental exigida pelo IBAMA por meio da Coordenação Geral de Petróleo e Gás – CGPEG, para as atividades de Exploração e Produção de Petróleo e Gás da Petrobras na Bacia Potiguar e do Ceará.

Após localizar o animal, os técnicos do projeto iniciaram imediatamente os procedimentos de primeiros socorros, retirando o animal da área de ondas e protegendo do sol. Médicos Veterinários do PCCB-UERN foram ao local e realizaram procedimentos de estabilização, que envolve a hidratação intravenosa e proteção da pele contra exposição ao sol. Os procedimentos aconteceram enquanto o animal era mantido em uma piscina natural na área do encalhe.

Após a estabilização o animal foi levado para a praia e procedeu-se tentativas de reintrodução. O golfinho apresentava sinais evidentes de orientação espacial, e em três tentativas de devolvê-lo ao mar, ele retornou para a praia, sendo mantido novamente em piscina natural, onde terminou morrendo as 14h38.

Com a morte do indivíduo os pesquisadores do PCCB-UERN realizarão ainda hoje a necropsia do animal no Laboratório de Monitoramento de Biota Marinha na UERN, em Mossoró-RN.

A espécie ocorre nos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico, habitando preferencialmente áreas oceânicas, proximidades de ilhas e pode ser observada em algumas regiões próximas da costa continental.

A desorientação espacial em golfinhos pode ocorrer devido à infestação parasitária em órgãos sensoriais, atropelamento de embarcações e lesões de órgãos internos decorrentes da interação com atividades de pesquisas sísmicas marítimas (emissão de fontes sonoras para mapeamento do fundo do mar para definição de áreas propícias à exploração de petróleo).

A área onde o animal encalhou está inserida em uma região onde estão correndo atividades de pesquisas sísmicas para uma empresa estrangeira, com a presença do maior navio de sísmica do mundo (http://geofisicabrasil.com/noticias/66-sismicamar.html).

Por Carlos Junior/Voz de Areia Branca

Nenhum comentário:

Postar um comentário