sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Entidades lamentam instituição de convocação compulsória na pmrn e mobilizam categoria na luta pela carga horária

"Faço uma convocação para toda a corporação (...) que cada um de vocês, policiais militares, seja praça ou oficial, procurar dar tudo de si, até no campo da superação, da exaustão (...)." Governador Robinson Faria.


Na manhã desta quarta (03) os dirigentes das entidades representativas de praças se reuniram com o fim de tratar sobre a portaria instituída pelo comandante geral e publicada no Boletim Geral 021 do último dia 02, o qual estabelece a aplicação de escalas extras COMPULSÓRIAS para os PMs no período carnavalesco, abrindo com isso um perigoso precedente para que se instale um contexto humilhante que existia num passado recente, sobretudo nas cidades do interior. 

Desde a semana passada que os dirigentes tentam sem sucesso serem recebidos pelo Coronel Dancleiton com o qual se pretendia tratar sobre essa situação da sobrecarga de trabalho imposta aos PMs, mas a sensação que passa é que o comando tem evitado o contato, se tornando inacessível para com os representantes da categoria. Diante do retrocesso ocasionado pelo ato e comprometimento na qualidade do serviço prestado à população as entidades decidiram tomar as medidas que seguem:

- Nota de Repúdio ao Comando Geral da PMRN;
- Denúncia em toda a imprensa do estado sobre as escalas compulsórias;
- Denúncia ao Ministério Público quanto à desobediência de recomendação sobre o tema;
- Deflagrar mobilização pela definição de carga horária de trabalho respeitando a VOLUNTARIEDADE no serviço extraordinário;
- Busca de apoio político nas Câmaras Municipais e Assembleia Legislativa do RN. 

Já na parte da tarde os dirigentes se reuniram com o deputado estadual Kelps Lima ao qual foi explicado a situação que ora aflige os militares do Rio Grande do Norte. O parlamentar reconheceu a dificuldade enfrentada pela categoria prometendo denunciar tal descalabro na tribuna da assembleia e nos veículos da imprensa potiguar.

Assessoria de Comunicação / APRAM

Nenhum comentário:

Postar um comentário