quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Mossoró=Homem é encontrado morto com o corpo crivado de balas na área do BH



Um homem identificado como José Maria Maia da Silva de 51 anos, foi encontrado morto com o corpo crivado de balas, na tarde desta terça feira 23 de fevereiro de 2016, às margens da BR 304 próximo ao Cemitério Novo, área do Belo Horizonte em Mossoró no Oeste Potiguar. 

Policiais do Grupo Tático Operacional (GTO) e da VTR BH, foram acionados, pela Central de Operações da PM, para procurarem um corpo, que segundo um popular que ligou para 190, estava em um matagal próximo a rua João Damásio no bairro Belo Horizonte. 

Depois de muitas buscas, finalmente os policiais conseguiram localizaram o corpo que estava crivado de balas e com uma corda no pescoço. A Delegacia de Homicídios e o ITEP foram acionados, para os procedimentos de praxe. 

Segundo informações de familiares, "Zé Maiado" como era mais conhecido, estava deitado em casa, pra dormir no último domingo (21), por volta das 23:30hs, quando uma pessoa que não foi identificada chegou chamando na porta pelo seu nome e ele pediu a mãe que dissesse que ele não estaria em casa. 

Logo em seguida outra pessoa veio chamou ele e o mesmo saiu de bicicleta e não foi mais visto. Na manhã desta terça feira, a família procurou a Delegacia de Homicídios, onde registrou um B.O (Boletim de Ocorrência) informando o desaparecimento, de José Maria. 

Após os procedimentos de perícia o corpo que já apresentava decomposição, foi recolhido para o Itep onde será submetido a exames de necropsia. 

O perito Criminal, Renildo Marcelino, informou que foram usadas três tipos de arma na morte de Zé Maiado, sendo escopeta 12, Pistola 380 e revolver calibre 38 e que a vítima foi morta naquele local a pelo menos dois dias. José Maria, segundo Renildo Marcelino, foi atingida com sete disparos e ainda teve uma corda amarrada no pescoço. 

Este foi quadragésimo quarto (44) homicídios em Mossoró neste ano de 2016. O caso vai ser investigado pela equipe da DEHOM ( Delegacia de Homicídios.


Fim da Linha

Nenhum comentário:

Postar um comentário