quarta-feira, 9 de março de 2016

Policial suspeito de atirar em preso durante fuga em massa é absolvido

O fato aconteceu em 2007 no presídio Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta

Um cabo da Polícia Militar, que terá a identidade preservada, acusado de homicídio desde 2007, por ter atirado em um apenado que estava participando de uma fuga em massa, no Presídio Provisório Raimundo Nonato, localizado na zona norte de Natal, foi absorvido da acusação.

O julgamento do praça aconteceu na manhã desta terça-feira (08) e contou com a defesa de Dr. Lúcio de Oliveira Silva, representando a assessoria jurídica da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar do RN. O advogado alegou que não foi feita uma perícia para comprovar que os tiros partiram da arma do réu, além disso, outros 12 policiais que foram ouvidos disseram também ter feitos disparos para conter a fuga.

“Nós alegamos que a Promotoria de Justiça não poderia acusar o policial por dedução, sem provas concretas resultantes de uma perícia. O Tribunal do Júri teve o mesmo entendimento e considerou o réu inocente”, explica o advogado.

A ACSPM/RN informa que oferece plantão jurídico 24h (98846-4080), além de assistência em todas as áreas jurídicas, inclusive em júri popular, sem custo nenhum ao associado. Para agendar um horário com um dos advogados que fazem parte da assessoria jurídica, basta ligar para a associação em horário comercial através do telefone: 3206-1896. Quem ainda não é sócio, pode fazer o cadastro de forma rápida e sem burocracia na sede da entidade, para usufruir deste e de vários outros serviços e vantagens ofertadas.

Sérgio Costa Portal BO

Nenhum comentário:

Postar um comentário