sexta-feira, 20 de maio de 2016

"Derrotada", diz mulher de engenheiro paranaense morto em Mossoró

Crime aconteceu na noite desta quarta (18) em um espetinho da cidade. Cleilton Cirino, 24 anos, foi vítima de bala perdida. Churrasqueiro seria o alvo. 


“Estou me sentido derrotada. Ainda não acredito que ele morreu”. As palavras são da técnica em enfermagem Jordânia Santos, de 21 anos, companheira do engenheiro agrônomo paranaense Cleilton Cirino Coelho da Silva, de 24, vítima de uma bala perdida na noite desta quarta-feira (18) em um espetinho na cidade de Mossoró, na região Oeste potiguar. 

Com exclusividade, e ainda bastante abalada, Jordânia conversou com o G1 na manhã desta quinta-feira (19). Ela contou que um irmão de Cleilton vem ao Rio Grande do Norte para buscar o corpo. “Nós vamos levá-lo para o Paraná, onde ele será velado e sepultado”, afirmou. 

“Como pode isso? Jamais imaginei passar por uma dor desse tamanho. Quero forças. Preciso superar, isso vai me destruindo aos poucos. É muito difícil saber que a cada segundo que passa eu fico me sentindo mais distante dele. Queria acordar desse pesadelo. Só estou fisicamente aqui, mais meu pensamento está muito distante”, disse Jordânia. 

Ainda de acordo com Jordânia, ela e Cleilton não eram casados, mas viviam juntos há 3 anos em Baraúna, cidade vizinha a Mossoró. “Tempo suficiente para descobrir o quanto era admirável. Um homem honesto, trabalhador, que vai nos fazer uma falta enorme”, relatou. 

Jordânia, que tem uma menina de 4 anos de um outro relacionamento, disse que Cleilton tratava a criança como se fosse sua própria filha. “Ele a amava. E nós o amávamos também”, acrescentou. 

O crime
Cleilton Cirino estava em um espetinho no bairro Aeroporto quando dois homens se aproximaram já atirando. Segundo a Polícia Militar, o alvo dos bandidos seria o churrasqueiro, que acabou atingido. Os tiros também acertaram um outro homem que estava no local. O engenheiro morreu na hora. Os outros dois baleados foram socorridos ao Hospital Regional Tarcísio Maia, onde permanecem internados. 

Cleilton, que era natural de Alto Paraná, no Paraná, trabalhava em uma empresa agrícola na cidade de Baraúna. A mulher dele contou que eles pretendiam se mudar para Mossoró nesta quinta-feira.

G1RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário