sábado, 30 de julho de 2016

'Não vamos recuar', diz governador do RN após ataques a ônibus

Robinson Faria diz que ataques são reação a instalação de bloqueadores. Apontados como lideranças, cinco presos foram transferidos da PEP.

Do G1 RN
Robinson Faria se reuniu com a cúpula da segurança pública do estado após a série de ataques ao sistema de transporte público do estado (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

"Não vamos recuar. Já declarei aqui: confio na polícia. A força policial tem toda a liberdade de atuar para garantir a segurança da população". Foi desta forma que o governador do Rio Grande do Norte Robinson Faria reagiu à série de ataques ao sistema de transporte público do estado. A instalação de bloqueadores de celular na Penitenciária Estadual de Parnamirim, na Grande Natal, é apontada pelo próprio governador como motivo para os atentados.

Até as 21h desta sexta-feira (29), 14 veículos haviam sido depredados, incendiados ou parcialmente queimados na capital e em cidades do interior. Ainda durante os ataques, as empresas de transporte que operam em Natal recolheram os ônibus. O vídeo acima mostra veículos tomados pelas chamas em três dos ataques.

De acordo com o governador, cinco lideranças de facções criminosas que teriam comandado os ataques foram identificados e transferidos da Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP), localizada na Grande Natal. Os detentos foram levados para unidades que o governo mantém sob sigilo. Ainda de acordo com Robinson Faria, o governo está mantendo contato com o Ministério da Justiça acerca dos últimos acontecimentos no estado.

Após os ataques, o governador se reuniu com a cúpula da segurança pública e com representantes do Ministério Público, Judiciário e Polícia Federal. Durante a reunião, Robinson afirmou que a reação dos criminosos veio depois que o governo tomou providências para aumentar o controle sobre os apenados do sistema prisional. "Bandidos estão reagindo porque o Governo instalou bloqueadores de celular em um presídio. Mas não vamos recuar”, disse o governador.

"O que não vamos aceitar é que o Estado seja emparedado pelos presos. É a hora de enfrentar, buscar a solução definitiva. A população pode ficar tranquila porque nós vamos vencer. O que tomamos até agora foram medidas necessárias para conter esse avanço da violência. Não há o que temer", concluiu Robinson.

Bloqueadores de celular foram instalados nesta quinta-feira (28) na Penitenciária Estadual de Parnamirim; fotos foram feitas pelos próprios presos, que espalharam as imagens pelas redes sociais (Foto: Reprodução)

Alerta
A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) emitiu um alerta nesta quinta-feira (28) logo após a circulação, em redes sociais, de áudios supostamente gravados por criminosos em resposta à instalação de bloqueadores de celular na Penitenciária Estadual de Parnamirim, na Grande Natal.

No documento, assinado pela Coordenadoria de Administração Penitenciária, está escrito: “Cumprimentando-os, inicialmente, sirvo-me do presente para determinar que todas as direções de unidades prisionais e grupos de apoios, tenham maior atenção às suas unidades e que compareçam às mesmas devido a possíveis motins ou rebeliões que possam acontecer neste final de semana em todo Estado. Diante o exposto, determinamos, também, que as equipes de Agentes Penitenciários deverão ficar de sobreaviso para possível acionamento” (SIC).

Já na manhã desta sexta, ainda antes de ocorrerem os ataques, as secretarias de Justiça e Cidadania (Sejuc) e de Segurança e Defesa Social (Sesed) emitiram uma nota na qual afirmavam que todas as medidas para garantir a segurança da população seriam adotadas e que "o Estado não se intimidará com as ameaças".

Coape chama a atenção de diretores de unidades prisionais quanto à possibilidade de motins e rebeliões neste final de semana no Rio Grande do Norte (Foto: Reprodução)

Nenhum comentário:

Postar um comentário