quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Coordenadoria de Estatística da Sesed registra tendência de redução da violência no RN


A Câmara Técnica de Monitoramento dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) reuniu-se na manhã desta quarta-feira (24) para apresentar os índices da segurança pública no Rio Grande do Norte no período de janeiro a julho de 2016, bem como as macrocausas da violência no Estado e discutir formas de ampliar as ações de prevenção e repressão qualificada da violência, visando a redução da criminalidade para obtenção da paz social. 

O relatório apresentado pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análise Criminal (COINE) da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) apresenta uma tendência de queda dos índices de CVLIs nos últimos dois meses consecutivos. Entre o meses de maio e julho, foi registrado uma queda de 11,6% de assassinatos no RN. De junho a julho, essa redução foi de 9,1%. 

Natal aparece com 351 registros de CVLIs, 75 a mais que no mesmo período em 2015 e Mossoró registrou neste ano 140 casos, ou seja, 44 a mais. Por outro lado, estas duas cidades voltam a mostrar redução nos últimos meses, com destaque a Mossoró que teve uma queda de 59,25% de CVLIs quando comparado os meses de janeiro, com 27 registros, e julho com 11. 

No total, os índices dos sete primeiros meses de 2016 no estado do Rio Grande do Norte ainda são maiores do que o mesmo período de 2015, ou seja, 1.140 CVLIs contra 933, apesar da tendência de redução. 

A região Leste Potiguar apresentou o maior número de CVLI, com 703 casos, seguido pelo Oeste (266), Agreste (105) e Central Potiguar (66). Apesar disso, também foi no Leste Potiguar registrada a maior redução de crimes desta natureza nos últimos dois meses, com 26 registros a menos. 

Esta foi a primeira vez que o secretário estadual da Segurança Pública, Ronaldo Lundgren, participou de uma reunião da Câmara, desde sua posse em maio. O secretário elogiou o trabalho de mapeamento de CVLIs e citou algumas ações em andamento na pasta. 

“Ressalto a importância da qualidade dos dados apresentados e seu interesse público. Mais do que números precisamos ainda identificar as relações existentes entre estes crimes a fim de coibi-los. Estamos concluindo o Plano Estadual de segurança pública que trará entre outros pontos novas diretrizes de atuação para a redução de homicídios, de forma que além das polícias são necessárias intervenções do Poder Judiciário, do sistema prisional, instituições que atuam no combate ao tráfico e uso de drogas, entre outras políticas sociais”, disse o secretário da Sesed. 

Participaram da consolidação dos dados da COINE, os órgãos membros da Câmara Técnica de Monitoramento do CVLI. Entre eles, estavam representantes do Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conselho Estadual da Criança e Adolescente, Conselho Estadual dos Direitos Humanos, além da Sesed. 

Crimes relacionados a drogas lideram com 61,3% as macrocausas da violência homicida 

Entre as macrocausas da violência homicida, as drogas lideram com 61,3% dos crimes relacionados, seguido pela violência interpessoal (18,5%). Quanto ao meio empregado na prática deste crimes, a arma de fogo registrou, entre maio e julho, uma queda de 14,28%, ou seja, 23 casos a menos neste período. 

Em 2016, as forças de segurança pública apreenderam 470 armas de fogo somente na região Metropolitana de Natal, o que é considerado um número recorde pela Segurança Pública, sendo 29,8% a mais que o mesmo período no ano passado quando foram apreendidas 362. Apesar deste esforço das polícias, a arma de fogo segue na liderança entre os meios mais utilizados para a prática de CVLIs, em 2016, com 990 casos, seguido pela arma branca com 80 registros. 

Quanto ao perfil das vítimas, o relatório traz o sexo masculino como o mais vulnerável com 1083 casos, contra 54 do sexo feminino. Além disso, pessoas entre 16 e 26 anos e solteiras representam 80,8% das vítimas. 

SESED/O Câmera

Nenhum comentário:

Postar um comentário