sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Pelo WhatsApp, facção criminosa do RN negocia arma e ameaça polícia

Dois homens foram presos e um revólver apreendido durante blitz da PM. No celular de um dos suspeitos, grupo também oferece drogas e telefones.

Anderson Barbosa Do G1 RN
No celular de um dos suspeitos, policiais encontraram mensagens de apologia ao crime, incluindo ofertas de drogas, negociação de armas e até ameaças a policiais (Foto: PM/Divulgação)

Dois homens foram presos e um revólver apreendido durante uma blitz realizada pela Polícia Militar na tarde desta quarta-feira (14) no bairro de Cajupiranga, em Parnamirim, cidade da Grande Natal. De certa forma, uma ocorrência considerada rotineira. O que chamou a atenção dos PMs foi o que estava no aparelho celular de um deles – evidência de que fazem parte de uma facção criminosa do estado. Em um grupo de WhatsApp, os policiais que fizeram a abordagem encontraram mensagens de apologia ao crime, incluindo ofertas de drogas, negociação de armas e até ameaças a policiais.

A blitz foi realizada pelos mesmos policiais militares que compõem a equipe da Lei Seca no estado. "Uma de nossas atribuições é realizar a chamada ‘Operação Bairro Limpo’, trabalho ostensivo que também tem caráter preventivo", explicou o capitão Isaac Paiva, coordenador da equipe.

O G1 teve acesso a algumas das mensagens contidas em um dos grupos abertos no aplicativo do celular. “Yae PCR vai dar CRT essa prancha” (SIC), diz uma das mensagens. Segundo o capitão Isaac, as siglas PCR e CRT significam ‘parceiro’ e ‘certo’. “Já a palavra prancha, no linguajar dos bandidos é o mesmo que dizer arma de fogo”, afirmou.

Em outro texto, a mensagem destacada sugere que a polícia seja tratada com violência: “É bala nos policia, é bala nos safado, é os fura bloqueio” (SIC).

Ainda de acordo com o capitão, os presos foram levados para a delegacia e autuados em flagrante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário