quinta-feira, 13 de outubro de 2016

DHPP conclui inquérito sobre homicídio praticado em carreata política e aponta autoria do crime

Acusado
Vítima

A Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), concluiu nesta semana, o inquérito policial que apurou a morte de Francisco Mendes de Almeida Júnior, assassinado durante uma carreata política no bairro Belo Horizonte em Mossoró/RN. 

O crime aconteceu no dia 21 de setembro passado, na Avenida Alberto Maranhão, no BH. Mendes Júnior como era mais conhecido, comandava uma carreata do então candidato a vereador Birinigth, quando recebeu dois tiros a queima roupa. 

A vítima ainda chegou a ser socorrida por populares para o Hospital Regional Tarcísio Maia, mas não resistiu e morreu três dias depois de internado. na mesma ocorrência, um policial Militar que também participava da carreata foi baleado, mas sobreviveu ao atentado. 

De acordo com o delegado da DHPP, Dr. Rafael Arraes, o inquérito foi remetido à Justiça com autoria do crime definida e pedido de prisão preventiva para o principal acusado do delito. 

A investigação apontou que Leandro Silva de Abreu "Garajau" de 20 anos, foi o autor dos disparos que mataram Mendes Junior e feriram o PM. Garajau, foi preso no dia 06 desse mês, durante uma operação de combate ao tráfico de drogas da Denarc no bairro Belo Horizonte. Ele acabou sendo baleado ao tentar fugir do cerco policial. 

Levado à DHPP, para prestar depoimento sobre o crime da carreata, Leandro Silva, negou seu envolvimento no assassinato do vendedor ambulante e afirmou que não tinha motivos para tal. 

Por outro lado o delegado Arraes, informou ao Fim da Linha, que mesmo negando a autoria do homicídio, a Polícia tem provas suficientes para incriminá-lo. "Inclusive ele foi reconhecido por testemunhas no momento do crime", disse o titular da DHPP. 

Garajau, que está preso na Cadeia Pública, já responde na justiça processos, por tráfico de drogas e tentativa de homicídio.

Fim da Linha

Nenhum comentário:

Postar um comentário