terça-feira, 4 de abril de 2017

A cada 3,5 horas uma pessoa é assassinada no RN, diz instituto

De 1 de janeiro a 2 de abril, foram registrados 622 homicídios no estado. Primeiro final de semana teve 24 mortes violentes, segundo observatório.

Por G1 RN
Protesto de motoristas do Uber em Natal (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

Os 622 homicídios contabilizados no Rio Grande do Norte até este domingo (2) revelam uma média de um assassinato a cada três horas e meia nos primeiros meses deste ano. É o maior índice de violência já registrado no estado, de acordo com dados do Observatório da Violência Letal Intencional (OBVIO). Ainda segundo o instituto, estes números representam um aumento de 28,78% no número de assassinatos em comparação com igual período de 2016, quando 483 pessoas foram vítimas de crimes letais intencionais.

Somente nesse final de semana, entre a sexta-feira (31) e a noite deste domingo (2), o OBVIO contabilizou 24 homicídios no estado. A maioria deles aconteceu em Mossoró, na região Oeste, na capital e na região Metropolitana de Natal.

Foram seis mortes em Mossoró, quatro em Natal, três em São Gonçalo do Amarante e duas em Vera Cruz. Já os municípios de Assu, Baraúna, Canguaretama, Ceará-Mirim, Martins, Nova Cruz, Parnamirim, São Paulo do Potengi e São Vicente tiveram registro de um homicídio cada.

Esse final de semana, com 24 assassinatos, só perde em quantidade para o final de semana dos dias 14 e 15 de janeiro, quando aconteceu o chamado massacre de Alcaçuz. Na ocasião, 26 detentos foram mortos durante um confronto entre facções rivais dentro da penitenciária. Alcaçuz, que fica em Nísia Floresta, na Grande Natal, é o maior presídio do RN.

Faixa etária
O levantamento de dados do Observatório da Violência Letal Intencional avalia também a faixa etária das vítimas. De acordo com o óbvio, das 622 pessoas assassinadas até o dia 2 de abril, 207 estava na faixa etária dos 18 aos 24 anos. Outras 121 vítimas tinham entre 35 e 64. Já na faixa etária de 25 a 29 a quantidade de mortos foi de 107.

Nenhum comentário:

Postar um comentário