quarta-feira, 6 de setembro de 2017

MPRN quer que cadeia pública de Mossoró separe presos por facções em sua unidade


Os membros de facções criminosas que estão presos na cadeia pública Juiz Manoel Onofre de Souza, em Mossoró, devem ser mantidos em ambientes separados e adequados. É o que recomendou o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), através da 14ª Promotoria de Justiça da cidade. 

A recomendação foi publicada na edição desta terça-feira, 5 de setembro do Diário Oficial do Estado (DOE). O documento lembra que a dignidade da pessoa humana é um dos fundamentos da República Federativa do Brasil, conforme consta na Constituição Federal. 

Além disso, é função do Estado zelar pela integridade física dos presos nos estabelecimentos prisionais. 

O texto da recomendação frisa que se alastrou por todo o sistema penitenciário nacional as organizações criminosas e que é sabido que na cadeia pública de Mossoró há detentos de facções rivais, que não podem ficar no mesmo ambiente. 

A recomendação é dirigida ao diretor da cadeia pública. A Promotoria de Justiça deu prazo de 5 dias para que o diretor cumpra a recomendação e advertiu que o descumprimento dela ensejará a adoção das medidas cabíveis, inclusive pela via judicial.

Confira aqui a recomendação.

Fim da Linha

Nenhum comentário:

Postar um comentário