segunda-feira, 1 de abril de 2019

Líder do PCC no Rio Grande do Norte é localizado e preso no Recife

Jonias Felipe da Silva Teixeira estava morando em um cortiço no bairro do Ibura e disse estar jurado de morte no sistema prisional potiguar
Jonias Felipe da Silva Teixeira, conhecido como Boneco Assassino, é apontado como um dos chefes da ramificação potiguar do Primeiro Comando da Capital. Foto: Polícia Civil/Cortesia
A Polícia Civil de Pernambuco detalhou nesta segunda-feira a prisão de um dos bandidos mais procurados no Rio Grande do Norte. Jonias Felipe da Silva Teixeira, conhecido como Boneco Assassino, é apontado como um dos chefes da ramificação potiguar do Primeiro Comando da Capital (PCC), uma das maiores fações criminosas do Brasil.
De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Alessandro Orico, Jonias, considerado fugitivo do sistema prisional, estava morando no bairro do Ibura, na Zona Oeste do Recife, havia cinco meses. “Tivemos essa informação e montamos o levantamento de área. O localizamos e fizemos a prisão”, explica Alessandro. “No momento da abordagem, perguntamos o que ele estava fazendo aqui. Ele disse que estava foragido do sistema prisional potiguar, até mesmo porque estava jurado de norte, e aqui ele trabalhava como mecânico e fazia bicos, mas tivemos conhecimento de que ele estava traficando na área”, detalha o delegado.
No RN, Jonias responde a vários processos por homicídio, tráfico de drogas e associação criminosa. De acordo com informações coletadas pela polícia, ele é suspeito de ter praticado mais de 20 assassinatos. Apesar do grande status em meio ao PCC, Jonias estava morando em um cortiço dividido por cerca de 30 famílias, o que tornou a ação policial ainda mais delicada por conta dos riscos a terceiros no momento da abordagem.
Após o cumprimento do mandado de prisão emitido pela Justiça do RN, o suspeito foi encaminhado ao Cotel e, segundo o delegado, expressou medo de ser transferido de volta para o sistema prisional potiguar. “Ele disse que seria assassinado lá, porque ele realmente corre risco, e manifestou a vontade de permanecer preso em Pernambuco”, relata o delegado do caso. Com Jonias, foi apreendido um celular roubado. A polícia solicitou a quebra de dados telefônicos com o objetivo de munir as investigações com informações sobre possíveis novos crimes praticados por ele.



OP9
Previous Post
Next Post

0 comentários: